Notícias

Evento

CGU participa da 1ª Conferência de Segurança Pública e Cidadania de Juiz de Fora (MG)

publicado: 30/08/2019 17h16, última modificação: 30/08/2019 17h17
Ministro destacou importância da participação social e da dedicação dos gestores na construção de uma política bem-feita de redução da criminalidade
CGU participa da 1ª Conferência de Segurança Pública e Cidadania de Juiz de Fora (MG)

Wagner Rosário elogiou iniciativa de realização do evento

O ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, participou, nessa quinta-feira (29), da 1ª Conferência Municipal de Segurança Urbana e Cidadania de Juiz de Fora (MG). O evento, realizado pela Prefeitura e pela Câmara Legislativa, buscou promover um espaço de debate, de troca de experiências e de proposição de novas diretrizes sobre proteção e seguridade pública.

O tema central foi retirado da Constituição Federal (CF) de 1988, no título quinto, que ressalta a defesa do Estado e das instituições democráticas. O artigo 144 ressalta: “Segurança pública: dever do estado, direito e responsabilidade de todos”. A Conferência foi voltada a representantes das forças de segurança, da sociedade civil organizada, de órgãos públicos e população em geral.

O ministro integrou a mesa de abertura. Ele elogiou a iniciativa de realização do evento, principalmente por permitir manifestações da sociedade para a construção de um plano de segurança pública. “Se não tiver participação social e dedicação dos gestores, quando o Governo Federal transferir os recursos, a consequência será um dinheiro mal-empregado. Espero que em breve, as medidas que estão sendo aqui tomadas possam se concretizar em uma política bem-feita de redução da criminalidade”, destacou.

A solenidade contou com a presença do prefeito, Antônio Almas; do secretário de Segurança Urbana e Cidadania, José Sóter de Figuerôa Neto; e demais autoridades.

A programação do Conferência incluiu mesas temáticas sobre integração das forças de segurança; diálogo e participação popular; prevenção social do crime e construção da cultura de paz; pesquisa e produção de inteligência; violência contra a mulher; e o papel da imprensa.