Você está aqui: Página Inicial > Notícias > 2018 > 07 > Nota Explicativa: redes sociais no período eleitoral

Institucional

Nota Explicativa: redes sociais no período eleitoral

Eleições

De 7 de julho até 7 de outubro, todas as postagens nas áreas de interatividade da CGU no Facebook e no Twitter serão moderadas, sendo excluídas aquelas de cunho eleitoral
publicado: 06/07/2018 10h08 última modificação: 16/07/2018 16h44
Medida poderá ser estendida até 28 de outubro, em caso de segundo turno

Medida poderá ser estendida até 28 de outubro, em caso de segundo turno

Em cumprimento à legislação eleitoral, o Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) informa que, no período de 7 de julho até 7 de outubro, todas as postagens nas áreas de interatividade do Órgão nas redes sociais serão cuidadosamente moderadas, sendo excluídas aquelas de cunho eleitoral (divulgação de nomes e números de candidatos, siglas e nomes de partidos políticos, slogans de campanhas partidárias), bem como de palavras-chave (eleições, segundo turno ou outras nomenclaturas da espécie). A medida poderá ser estendida até 28 de outubro, em caso de segundo turno. 

Aos finais de semana e feriados, serão ocultadas as áreas de interatividade dos perfis institucionais do CGU no Facebook e no YouTube. O motivo é a impossibilidade técnica, nesses dias, de realizar os trabalhos de moderação e intervenção nos comentários antes da publicação. Já no Twitter, por não ser possível a suspensão da área de comentários, bem como eventual exclusão de postagens, os usuários que, por ventura, realizarem comentários que firam a legislação eleitoral, receberão resposta padrão, com vistas a terem ciência do ocorrido, podendo ainda serem bloqueados do perfil da CGU de forma temporária ou definitiva. 

Ressaltamos que o uso de fotos (mesmo as de arquivo), imagens e vídeos, inclusive de conteúdos jornalísticos, que contenham logomarcas, slogans, anúncios, painéis e qualquer conteúdo de natureza similar de governos ou de programas de governo também ficará proibido. 

Fundamentação legal: Lei nº 9.504/1997, art. 57-C e Instrução Normativa SECOM nº 1/2018.