Institucional

Publicações

Ministério da Transparência lança a 13º edição da Revista da CGU

publicado: 07/04/2017 15h42, última modificação: 10/04/2017 09h20
Publicação traz artigos sobre transparência, participação social e controle no Poder Executivo Federal
Ministério da Transparência lança a 13º edição da Revista da CGU

Artigos publicados foram recebidos e aceitos pelos pareceristas da publicação no segundo semestre de 2016.

O Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) lança, hoje (7), a 13ª edição da Revista da CGU. A publicação traz cinco artigos científicos, distribuídos em duas linhas de pesquisa: transparência e participação social com dois artigos; e controle no Poder Executivo Federal com três artigos. Os textos são inéditos e resultam de pesquisa independente realizada por servidores do Órgão, professores, estudantes e profissionais de outras entidades.

Os artigos publicados foram recebidos e aceitos pelos pareceristas da Revista no segundo semestre de 2016. Os estudos abordam os seguintes temas: “Como o cidadão avalia o Portal?”; “Sociedade e  estado: quem controla quem”; “Controle interno e a tomada de contas especial nos municípios brasileiros”; “A importância do critério partidário como parâmetro de seleção dos dirigentes da Secretaria Federal de Controle Interno”; “Uma proposta de releitura do julgamento das contas de governo à luz do accountability”.

Vale ressaltar, ainda, que os textos apresentados não representam necessariamente a opinião e/ou posicionamento do Ministério e são de inteira responsabilidade dos seus autores. A revista é qualificada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior como B4 no sistema Qualis-Periódicos. Desse modo, os artigos na revista, inclusive os anteriores, passam a ser pontuados nas seleções de mestrado e doutorado de todo o Brasil.

Próxima edição

O Ministério da Transparência recebe, até o dia 30 de abril de 2017, artigos para integrar a 14ª edição da Revista da CGU. Para participar, os interessados devem efetuar cadastro e realizar upload do artigo. Podem participar servidores do Ministério, assim como pesquisadores brasileiros ou estrangeiros, estudantes e profissionais de outras entidades.

Os textos devem ter entre 10 e 25 páginas e seguir as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). São permitidos, no máximo, cinco autores por artigo.