Ministério da Transparência declara a construtora Skanska Brasil inidônea

por ASCOM última modificação 09/06/2016 09h53 Créditos: Renata Mello
Construtora pagou propinas no valor de R$ 3 milhões a agentes públicos para firmar um contrato de mais R$ 1,3 bilhão com a Petrobras em obras de ampliação do Terminal de Cabiúnas, no Rio de Janeiro