Ouvidoria

Evento

Ministro da CGU destaca a importância da atividade de ouvidoria para o país

publicado: 16/03/2016 17h14, última modificação: 17/10/2018 14h22
Durante abertura da Reunião Geral de Ouvidorias, Luiz Navarro falou sobre o estímulo à participação cidadã e os recentes avanços da área
Abertura da Reunião Geral de Ouvidorias

Evento também marcou a transmissão do cargo de ouvidor-geral da União, de Luís Fanan (à direita) para Gilberto Waller Júnior - Foto: Ascom/CGU

O ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Luiz Navarro, abriu a Reunião Geral de Ouvidorias 2016, nesta quarta-feira (16), em Brasília. O evento reuniu cerca de 400 pessoas – entre ouvidores federais e estaduais, além de autoridades públicas – com o objetivo de estimular o diálogo sobre o papel e os avanços do trabalho das ouvidorias públicas no Brasil.

Na ocasião, Navarro parabenizou todos os presentes pelo Dia do Ouvidor, comemorado na mesma data. Para ele, “a atividade de ouvidoria possui papel relevante na sociedade por ser a porta de entrada para o cidadão se aproximar da Administração Pública”. “Todos nós temos que estimular a democracia participativa, a participação social do cidadão”, destacou.

O ministrou também falou que há atualmente 284 federais, sendo 81 integradas no Sistema de Ouvidorias do Poder Executivo Federal (e-Ouv). Estima-se que mais de 4 milhões de manifestações sejam feitas nessas ouvidorias. “Temos criado cada vez mais espaço para a sociedade se manifestar. É a oportunidade dela contribuir para o aprimoramento da gestão”, afirmou.

Navarro mencionou, ainda, o Programa de Fortalecimento das Ouvidorias, criado pela CGU em dezembro de 2015, que já possui adesões de dez estados e do Distrito Federal. A ideia é auxiliar estados na atividade, inclusive com cessão do código-fonte do e-Ouv. Além disso, foi também falado sobre as capacitações promovidas e que capacitaram cerca de mil agentes públicos em 15 estados do país.

A abertura contou com a presença do diretor de administração do Banco Central, Luiz Feltrim, que ressaltou o exercício da efetiva cidadania na atividade prestada pelas ouvidorias. “Temos evoluído bastante ao longo dos anos. Isso tem sido feito em conjunto com os cidadãos”, frisou. Feltrim falou, ainda, do histórico da ouvidoria do Banco Central.

Em seguida, houve a transmissão do cargo de ouvidor-geral da União de Luís Fanan a Gilberto Waller. Fanan ficou cerca de um ano à frente da Ouvidoria-Geral da União (OGU) e celebrou os ganhos para a atividade durante esse período. “Evoluímos, mas precisamos, cada vez mais, evoluir e ouvir a população”, disse. Já Waller, que atua desde 2013 na OGU como ouvidor-adjunto, falou que dará “prosseguimento ao desafio de caminhar na direção correta da participação social e dos direitos humanos”, pontuou.

Evento

A Reunião Geral de Ouvidorias 2016 é uma iniciativa da OGU, unidade da Controladoria-Geral da União. O evento ocorrerá nos dias 16 e 17 de março de 2016 na sede do Banco Central do Brasil, em Brasília. Serão abordados os temas: gestão de ouvidorias; ouvidorias em rede; serviços ao cidadão; e Lei de Acesso à Informação.