Auditoria e Fiscalização

Evento

Controladoria destaca mudanças trazidas pela Lei Anticorrupção na 18ª Reunião do Conaci

publicado: 18/03/2016 15h42, última modificação: 18/03/2016 17h44
CGU também apresentou avanços nas áreas de transparência e ouvidoria. Reunião discutiu temas como marco regulatório do terceiro setor, auditoria participativa, entre outros
18ª Reunião do Conaci

Evento reuniu representantes de 23 órgãos de controle interno de estados e municípios do país.

Nos dias 17 e 18 de março, a Controladoria-Geral da União (CGU) sediou a 18ª Reunião Técnica do Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci), em Brasília. O evento discutiu temas como Lei Anticorrupção, marco regulatório do terceiro setor, auditoria participativa, sistemas informatizados, fomento ao controle social, entre outros.

Na abertura, o secretário-executivo da CGU, Carlos Higino, destacou as mudanças que têm ocorrido no país nos últimos meses a partir da Lei Anticorrupção. “É possível perceber alterações no ambiente privado das empresas, nas relações com o setor privado. Há uma grande preocupação com a integridade, isso é inegável”, afirmou.

Higino também ressaltou outras melhorias em diversas frentes de trabalho da CGU nesse período. Segundo o secretário, houve fortalecimento nas políticas de transparência, a criação do Programa de Fortalecimento das Ouvidorias, a reformulação do Pró-Ética, entre outras iniciativas. “O controle precisa trabalhar para a eficiência do Estado”, frisou.

A reunião foi comandada pelo presidente do Conaci, Roberto Amoras, e contou com a participação do secretário federal de Controle Interno, Francisco Bessa. Na ocasião, Amoras disse estar satisfeito por “discutir temas tão relevantes em um evento que promova grande aprendizado”. O encontro reuniu cerca de 45 pessoas, entre representantes de 23 órgãos de controle interno de estados e municípios do Brasil, além de autoridades.

Conaci

Criado em 2007, o Conaci tem por objetivo promover a integração entre todos os órgãos responsáveis pelo controle dos gastos públicos no Brasil. A atuação do conselho ocorre por intercâmbio de conhecimentos; práticas e informações em debates e eventos; e coordenação e do desenvolvimento de programas voltados à construção de mecanismos de controle.