Institucional

Campanha

CGU inicia mutirão contra o mosquito da dengue, zika e chikungunya

publicado: 29/01/2016 16h14, última modificação: 29/01/2016 19h09
Ação reuniu cerca de 20 pessoas e teve o objetivo de vistoriar instalações de prédios públicos, em busca de focos do Aedes Aegypti
Força-tarefa contra o Aedes Aegypti

Durante a semana de mobilização serão promovidos novos mutirões nas instalações em Brasília e nas Unidades Regionais da CGU - Foto: Ascom/CGU

Nesta sexta-feira (29), funcionários da limpeza e servidores da Controladoria-Geral da União (CGU) iniciaram mutirão para vistoriar as instalações do Edifício Darcy Ribeiro, em Brasília, com o objetivo de eliminar os focos do mosquito Aedes Aegypti, vetor das doenças dengue, zika e chikungunya. A ação, que reuniu cerca de 20 pessoas, ocorre até o dia 4 de fevereiro e faz parte de ação integrada do Governo Federal na luta contra o mosquito.

Durante a manhã, as atividades tiveram início no subsolo e nas imediações do edifício. Foram eliminados focos encontrados perto da garagem e em recipientes de plástico no chão e em lixeiras. Nos próximos dias, serão vistoriados os andares de cima do prédio. Também serão repassadas orientações para que todos os servidores da Controladoria possam combater e evitar o foco do mosquito no ambiente de trabalho.

Conheça o site de combate à dengue, zika e chikungunya

De acordo com o ministro-chefe da CGU, Carlos Higino, governo e sociedade precisam se unir, de forma ininterrupta, para adotar medidas de prevenção e controle. “Nesse momento, nós precisamos da mobilização de todos para que sejamos multiplicadores das ações de combate ao mosquito. Cada um precisa fazer sua parte nessa luta”, destacou. Além disso, Higino ressaltou que as ações são integradas e ocorrem também em todas as Unidades Regionais da Controladoria do Brasil.

Durante a atividade, é utilizado um check-list, em que são anotados os lugares que foram inspecionados e o que foi encontrado. No final, é chamado um agente de saúde para que passe indicações de como é feito o descarte do que foi encontrado. Nos próximos dias, serão promovidos novos mutirões no edifício Siderbrás, Bloco A da Esplanada e nas Unidades Regionais da CGU.

Para a coordenadora-geral de recursos logísticos, Lorena Pompeu, a ação possui uma importância essencial para a saúde de todos. “A finalidade é identificar no local de trabalho possíveis focos para evitar as doenças que são transmitidas pelo Aedes Aegypti e mostrar aos nossos servidores o perigo da transmissão”, afirmou. Além disso, Lorena destacou que a iniciativa é um trabalho que deve ser feito de forma contínua e perene pela Administração Pública Federal.

O mutirão nos prédios públicos é uma resposta engajada e comprometida com a saúde de todos os brasileiros. Contudo, essa é uma iniciativa de um trabalho que deve ser feito de forma contínua pela Administração Pública Federal no combate ao mosquito. Faça parte do nosso esquadrão: com 1 milhão e 600 mil servidores, podemos exterminar o mosquito  Aedes Aegypti.