Auditoria e Fiscalização

Debate

Ministro da CGU destaca a importância da auditoria interna em seminário no Banco Central

publicado: 20/11/2015 14h29, última modificação: 20/11/2015 14h38
Evento ocorreu nesta sexta-feira (20), em Brasília, e reuniu cerca de 300 pessoas
Seminário Auditoria Interna do Executivo Federal

Valdir Simão e Alexandre Tombini (centro) destacaram os mecanismos de controle interno e a colaboração entre os órgãos como primordial para melhoria da governança pública - Foto: Crédito: Ascom/CGU

A Controladoria-Geral da União (CGU), em parceria com o Banco Central, realizou o “Seminário Auditoria Interna do Poder Executivo Federal”, nesta sexta-feira (20), em Brasília. O evento teve o objetivo de discutir avanços e desafios do controle interno, além de debater as principais soluções informatizadas implantadas na atividade de auditoria.

O ministro-chefe da Controladoria, Valdir Simão, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, realizaram a abertura do evento. Simão falou sobre o papel da auditoria interna na avaliação da efetividade dos controles e dos objetivos operacionais. “É muito importante estruturar mecanismos de controle interno, observando a questão da integridade, conformidade financeira, segurança de informação e transparência”, afirmou o ministro-chefe da CGU.

Já Alexandre Tombini relatou a importância da contribuição entre os órgãos para os avanços de governança. “O aprimoramento de vários processos de trabalho, como os internos, é fruto do relacionamento colaborativo, que sempre é pautado pelo espírito público”, destacou presidente. Também estiveram presentes na abertura o secretário-executivo da Controladoria, Carlos Higino, e o auditor-chefe do Banco Central, Ailton de Aquino.

Em seguida, o secretário federal de Controle Interno, Francisco Bessa, realizou breve apresentação sobre a importância do controle interno nos órgãos. Diante de 300 representantes de órgãos do Poder Executivo, Bessa reafirmou questões da auditoria interna, como missão, princípios fundamentais, entre outras. “O desafio é dotar as organizações públicas de mecanismos de controle interno e de integridade que garantam o cumprimento dos objetivos e as tornem impermeáveis à corrupção”, concluiu o secretário.

Ao fim, a coordenadora-geral de técnicas, procedimentos e qualidade, Janaína Lucas Ribeiro, falou sobre avanços e impactos advindos da nova Instrução Normativa nº 24, de 17 de novembro de 2015 – que substituiu a IN nº 07, de 29 de dezembro de 2006, e a IN nº01, de 3 de janeiro de 2007. As normas são referentes ao Plano Anual e o Relatório Anual de Auditoria Interna.