Transparência Pública

Jogos

CGU dá transparência aos investimentos federais nas Olimpíadas Rio 2016

publicado: 05/08/2015 10h23, última modificação: 19/10/2018 09h21
Reformulação de portal apresenta andamento das obras e execução das despesas. Objetivo é facilitar o controle social dos cidadãos
Transparência Rio 2016

Montagem da cobertura metálica da arena principal do Centro Olímpico de Tênis. Investimento previsto é de R$ 182,8 milhões - Foto: Gabriel Heusi/brasil2016.gov.br

A um ano da abertura dos Jogos Olímpicos 2016, a Controladoria-Geral da União (CGU) promove a reformulação do Portal da Transparência - Rio 2016. O hotsite, que tem o objetivo de dar transparência aos recursos do Governo Federal investidos na realização do evento esportivo, apresenta, a partir de agora, informações sobre a evolução das obras e despesas, além de documentos como contratos e termos aditivos.

As alterações do hotsite visam facilitar o entendimento dos dados, permitindo um acompanhamento mais efetivo pela sociedade. Informações como percentual da execução física das obras e valores previstos e efetivamente pagos até o momento estão disponíveis apenas para os projetos a cargo do Poder Executivo Federal. É possível obter, também, mais facilidade no acesso a documentos – termos de compromisso, convênios, licitações, contratos e aditivos, por exemplo. Os dados são repassados trimestralmente à CGU pelo Ministério do Esporte.

Os gastos dos demais entes que compõem o orçamento das Olimpíadas (governos estadual e municipal, além do setor privado) estão demonstrados por meio da Matriz de Responsabilidades, divulgada em janeiro de 2015. À época, a maior parte dos investimentos, R$ 4,24 bilhões (64%), foram previstos para o setor privado. O restante, R$ 2,37 bilhões (36%), estava a cargo do setor público.

Recursos federais

A maior parte do investimento do Governo Federal está concentrada na construção e manutenção das arenas esportivas. De acordo com a última Matriz de Responsabilidades, o investimento previsto no parque olímpico da Região Barra soma R$ 825,5 milhões, sendo R$ 666,3 milhões destinados às instalações esportivas e R$ 159,2 milhões para as melhorias em energia elétrica.

Na Barra, o Centro de Esportes Aquáticos – onde serão disputadas as competições de natação e polo aquático – está com obras adiantadas, superando os 75% de conclusão. A previsão de término é para janeiro de 2016. Já o Velódromo tem investimento previsto de R$ 144,1 milhões e está 51,24% concluído, mas apresenta o cronograma de obras atrasado. Nos dois projetos, as intervenções são coordenadas pela Prefeitura do Rio de Janeiro.

No Complexo de Deodoro, os investimentos nas instalações esportivas e em infraestrutura urbana têm previsão de R$ 832,4 milhões. A restauração e ampliação do Centro Nacional de Hipismo está 22% concluída. Todas as informações de execução física e financeira, além dos documentos referentes aos projetos, foram levantadas até o mês de maio.