Institucional

Vencedores

CGU divulga resultado da 2ª edição do Concurso de Boas Práticas

publicado: 28/11/2014 19h04, última modificação: 01/12/2014 15h26
Premiação será entregue em 8 de dezembro, na cerimônia de comemoração do Dia Internacional Contra a Corrupção.

A Controladoria-Geral da União (CGU) divulga o resultado do II Concurso de Boas Práticas. O certame recebeu 87 inscrições de órgãos e entidades do Poder Executivo Federal, divididas em quatro categorias, que contemplam as grandes linhas de atuação do Órgão – controle interno, transparência e prevenção, ouvidoria e correição. A entrega da premiação ocorrerá em cerimônia comemorativa ao Dia Internacional Contra a Corrupção, no dia 8 de dezembro.

O objetivo do Concurso é estimular, reconhecer e premiar iniciativas no Poder Executivo Federal que contribuam para a melhoria da gestão pública. O certame foi composto de cinco etapas: inscrição, pré-avaliação, avaliação in loco, julgamento e premiação. Os critérios para julgamento dos trabalhos foram inovação, criatividade, simplicidade, utilidade, aplicabilidade e custo-benefício.

Confira a lista completa dos premiados e a íntegra das práticas vencedoras

Na categoria “Fortalecimento dos controles internos administrativos”, a mais disputada, com 44 inscritos, o Ministério da Educação (MEC) emplacou duas práticas vencedoras, acompanhado da Liquigás Distribuidora. Também foram concedidas menções honrosas ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e ao Ministério do Planejamento (MPOG).

Duas agências foram premiadas na categoria “Aprimoramento das atividades de ouvidoria”:  Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), junto com o Ministério da Saúde, que também recebeu uma menção honrosa com outra prática inscrita.

Já na categoria “Promoção da transparência ativa e/ou passiva” os premiados foram o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Na quarta categoria, “Diminuição no tempo de apuração disciplinar”, foram contemplados o Ministério dos Transportes e o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).