Auditoria e Fiscalização

Recursos Federais

CGU e Ministério da Integração Nacional visitam cidades alagadas em Rondônia

publicado: 06/08/2014 14h00, última modificação: 08/08/2014 15h30
Vistoria vai avaliar as providências adotadas pelos governos do Estado e da capital Porto Velho. Trabalho abrange áreas de Saúde, Assistência Social, Defesa Civil, Educação e Infraestrutura.
Enchente-Rio-Madeira

Cheia destruiu centenas de moradias, escolas, pontes e estradas. - Foto: Marcos Freire/ Decom

A Controladoria-Geral da União (CGU), em parceria com o Ministério da Integração Nacional, realiza, esta semana, ação de diagnóstico situacional do desastre ocorrido no Estado de Rondônia, nos meses de março e abril, em razão da cheia histórica do Rio Madeira. O objetivo é fazer um levantamento das providências adotadas pelos governos do Estado e de Porto Velho frente às situações de emergência; bem como avaliar a capacidade operacional e administrativa desses entes na execução dos recursos adicionais transferidos pela União para o socorro às vítimas e restabelecimento dos serviços.

O trabalho da Controladoria alcançará as áreas de Saúde, Educação, Assistência e Promoção Social, Defesa Civil e Infraestrutura. Além da capital, os técnicos da CGU visitam os distritos de Calama, Demarcação, São Carlos e Nazaré. O deslocamento das equipes está sendo feito de barco. Nessas localidades, a cheia destruiu centenas de moradias, estradas, pontes, prédios públicos, igrejas, escolas, postos de saúde e a BR-364, que faz a ligação com o Estado do Acre. Inclusive, ainda há várias famílias alojadas no abrigo construído pela Defesa Civil em Porto Velho.

A atuação da CGU em Rondônia é semelhante à já realizada em casos de desastres naturais ocorridos, nos últimos anos, em Santa Catarina, Minas Gerais, Alagoas, Pernambuco e Região Serrana do Rio de Janeiro. Durante o trabalho de campo, entre outras atividades, os técnicos da Controladoria orientam os gestores estaduais e municipais quanto à correta aplicação dos recursos públicos destinados à assistência e à recuperação do cenário. Após a conclusão da ação, a CGU definirá quais as medidas adicionais deverão ser adotadas com o objetivo de minimizar os efeitos do desastre.

O trabalho da Controladoria e do Ministério da Integração nas regiões afetadas pela enchente conta ainda com a parceria das Defesas Civis Municipal de Porto Velho e Estadual de Rondônia. A enchente histórica do Madeira atingiu o seu pico no dia 30 março, quando o rio atingiu o nível de 19,74 metros. O recorde anterior era de 1997, quando o rio chegou a 17,52 metros.

 

Assessoria de Comunicação Social