Transparência Pública

Articulação Internacional

América Latina discute modelo de gestão documental voltado para transparência

publicado: 27/06/2014 14h40, última modificação: 18/07/2014 11h22
Representantes de dez países apresentaram exemplos de boas práticas que servirão como base para processo de construção do modelo.
América Latina discute modelo de gestão documental voltado para transparência

Representantes vão coletar dados para a criação de um modelo-piloto, a ser apresentado em novembro no Brasil.

Discutir e elaborar um modelo de gestão documental que facilite o acesso à informação para os países da América Latina. Este foi o objetivo central do “Seminário Regional para a Construção do Modelo de Gestão de Arquivos”, que ocorreu entre os dias 09 e 11 deste mês, na sede do Arquivo Geral da Nação em Bogotá.

Representantes de dez países membros da Rede de Transparência e Acesso à Informação (RTA) apresentaram exemplos de boas práticas que servirão como base para iniciar o processo de construção de um modelo latino-americano consensual. O desafio é incorporar as diversas realidades dos países participantes.

A Controladoria-Geral da União e o Arquivo Nacional e representaram o Brasil. O analista Marcos Lindenmayer, da CGU, participou do evento e afirmou que a eficiência na gestão de arquivos é uma preocupação comum às nações que já trabalham com a transparência e acesso à informação.

O Brasil ocupa uma boa posição em termos de gestão documental, assemelhando-se ao padrão de excelência da Colômbia, considerado um dos melhores da região. A ausência de controle, entretanto, ainda o fragiliza. Estima-se que a destruição irregular de documentos e a má gestão de arquivos são responsáveis por 26% das negativas dos pedidos de acesso à informação nos órgãos do Poder Executivo Federal.

“A existência de um sistema estruturado de gestão e uma política de arquivos são considerados essenciais para alcançar a efetividade do acesso à informação”, explicou o analista. “Isso vai impactar tanto na qualidade quanto na velocidade das respostas a esses pedidos de acesso”, concluiu.

Nos próximos meses os participantes do seminário irão coletar dados em seus países para subsidiar a criação de um modelo-piloto de gestão a ser apresentado em novembro, no encontro da RTA que ocorrerá aqui no Brasil.

 

Assessoria de Comunicação Social