Institucional

Imprensa

Nota de Esclarecimento - Correio Braziliense

publicado: 30/04/2014 16h22, última modificação: 16/07/2014 16h09
Nota de Esclarecimento sobre matérias do Correio Braziliense acerca de terceirização de mão de obra no Governo Federal.

Em relação às matérias publicadas pelo jornal Correio Braziliense, nos dias 29 e 30 de abril, sobre terceirização de mão de obra no Governo Federal, a Controladoria-Geral da União (CGU) esclarece:

1º) O valor de R$ 8 bilhões mencionado nas matérias publicadas pelo Correio Braziliense não corresponde aos gastos com despesas de terceirização de mão de obra no Governo Federal. Isso porque o valor que o jornal utilizou é a quantia que consta no Portal da Transparência para os gastos do Governo Federal com Empresas Cadastradas no ramo “Atividades Administrativas e Serviços Complementares” (dado, aliás, exposto no quadro da página 8, da edição de 29/04/2014). Nessa última categoria de despesas estão incluídos, por exemplo, os pagamentos a agências de viagem, emissão de vale alimentação, locação de automóveis sem condutor, aluguel de máquinas e equipamentos, condomínios prediais, dentre outros, que nada têm a ver com terceirização de mão de obra.

2º) Trata-se, portanto, de realidades completamente diferentes: o conceito de “gastos com terceirização de mão de obra” não é a mesma coisa que “gastos com atividades administrativas e serviços complementares”. Embora algumas das atividades informadas nas matérias correspondam a esses dois grupos, não se pode confundi-los, como aparentemente fez o jornal.

3º) A CGU lamenta que os repórteres não tenham solicitado esclarecimento específico sobre o significado desses dados consultados no Portal da Transparência, tendo-se limitado a pedir informações sobre os contratos de terceirização mantidos pela CGU (o que foi prontamente atendido).

4º) Não há, portanto, a suposta confusão no Governo Federal, como afirma o jornal, mas sim no critério de análise da própria reportagem.



Assessoria de Comunicação Social