Notícias

Valdir Agapito debate os desafios para o controle interno em evento internacional

publicado: 28/09/2009 00h00, última modificação: 01/05/2014 23h06

O secretário Federal de Controle Interno da Controladoria-Geral da União (CGU), Valdir Agapito Teixeira, participou nesta sexta-feira (25), em São Paulo, da conferência internacional “Contabilidade e Responsabilidade para o Crescimento Econômico Regional”, apresentando as ações que norteiam a promoção da transparência e o controle interno no governo brasileiro.

Convidado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e pela Federação Internacional de Contadores (FIC), Agapito expôs a experiência brasileira no painel “Vigilantes da Integridade e da Responsabilidade: Auditoria Interna em uma Estrutura de Governança Corporativa Forte”, do qual participaram ainda representantes equivalentes do governo do Chile e da Argentina, além de profissionais do BID e da Audibra.

Uma das questões tratadas no painel foi a efetividade do gasto público e como aprimorar os processos de controle interno. O secretário Agapito afirmou que o grande desafio é saber se o dinheiro chegou ao local onde ele deveria chegar. Para isso, segundo ele, o controle não pode se limitar à verificação de papéis: “a sociedade tem que ver e reconhecer a cara do controle público”.

Além disso, Agapito destacou o forte investimento que o governo brasileiro tem feito para ampliar a transparência dos gastos públicos, de modo a permitir o efetivo controle social. “Não há transparência sem controle social e não há controle social sem informações”, afirmou.

O evento

Esta foi a segunda edição da conferência sobre relatórios financeiros, auditoria, questões de governança e desdobramentos relevantes para a América Latina e o Caribe.

O objetivo da conferência é promover a conscientização sobre a importância de relatórios e auditorias financeiras saudáveis para o desenvolvimento de uma economia de mercado bem-sucedida e para um setor público eficiente, que, por sua vez, são a base para o desenvolvimento econômico sustentável e justo.

 

Assessoria de Comunicação Social