Notícias

Ministra Anadyr reúne-se com Auditores Militares

publicado: 31/10/2002 00h00, última modificação: 01/05/2014 23h06

Na busca de maior integração dos órgãos que integram o amplo sistema de controle dos gastos públicos do Poder Executivo Federal, a Corregedoria-Geral da União recebeu ontem (30/10) a visita do Secretário de Controle Interno do Ministério da Defesa, Edson Alves Sá Teles, e dos Oficiais Generais chefes dos setores de auditorias internas dos comandos das Forças Armadas, Brigadeiro Intendente Eliseu Mendes Barbosa, General de Brigada Sebastião Peçanha e Contra-Almirante Antônio Manoel Vasques Gomes.

Na ocasião, na presença da Ministra Anadyr de Mendonça Rodrigues e dos responsáveis pelos diversos setores da CGU, o Secretário Federal de Controle Interno, José Wanderley Pinheiro, o Corregedor Lourenço Grübel Diehl e o Ouvidor-Geral, Nelson Parucker Júnior, fizeram ampla exposição, com o relato das atividades desenvolvidas pela Secretaria Federal de Controle Interno, desde a sua criação, em 1994, bem como do desempenho da Corregedoria-Geral da União, instituída em abril de 2001, para aprimoramento do Sistema Federal de Controle Interno. Relatou-se ainda a reestruturação ocorrida em março de 2002, com a transferência, para a CGU, da SFCI, ficando integrados em um só corpo administrativo os dois órgãos, essencialmente afins em suas competências institucionais. Por fim, foram relatadas as atividades pertinentes às funções de Ouvidoria-Geral, outorgadas à CGU na mesma ocasião.

A seguir, os representantes dos Comandos Militares igualmente expuseram as ações de auditoria que se desenvolvem em cada uma das Armas, com suas peculiaridades, ressaltando que um dos principais objetivos é o de orientar os ordenadores de despesas quanto a falhas recorrentes, assim atingindo a meta maior de prevenir a sua ocorrência, missão que também cabe à CGU, a quem compete propor medidas administrativas ou legislativas necessárias a evitar a repetição das irregularidades administrativas constatadas.

O encontro, considerado "excelente", como instrumento útil ao aperfeiçoamento de suas atividades, fez com que os responsáveis pelo Sistema Federal de Controle Interno, nas áreas civil e militar, programassem sua repetição, em data a ser definida.