Processo de Trabalho

por ASCOM publicado 02/05/2014 18h23, última modificação 25/08/2016 09h33
Entenda a metodologia que baseia os resultados do Observatório da Despesa Pública.

Iniciação

Os trabalhos sobre o tema eleito para ser apurado pelo Observatório da Despesa Pública (ODP) se iniciam com a montagem de um Mapa Mental pelo Grupo de Ligação, onde são explorados e registrados os meios necessários ao cumprimento dos objetivos do projeto, como fontes de informação, articulações externas necessárias e planejamento das macro-atividades a serem desenvolvidas pela equipe.

O Mapa Mental deriva a lista inicial de trilhas e indicadores, com as respectivas fontes de informação e suas principais características, qualidade, porte e disponibilidade.

Essas trilhas são desenvolvidas com base em pesquisas e contatos com os provedores de informação para elaboração da proposta de escopo detalhado do projeto ao Conselho de Análise. A proposta inclui as hipóteses levantadas pela equipe no estudo desse tema e as ações de campo sugeridas para a validação dos resultados obtidos.

 
Elaboração

Com a proposta aprovada e priorizada pelo Conselho de Análise, inicia-se a fase de obtenção das informações necessárias, já considerando a biblioteca de fontes de informação existentes no ODP e os canais da CGU junto aos detentores e especialistas em bases de dados.

A medida em que as bases são obtidas, a Unidade de Produção e Memória (UPM) trabalha sua modelagem e executa os processos de carga de informações (ETL) para as bases de dados necessárias às análises.


Execução

Com os dados carregados nos bancos de dados do ODP e com as correlações estabelecidas entre essas bases, inicia-se a fase de investigação dos dados com as ferramentas de processamento analítico de dados (OLAP), datamining e análise investigativa. Usualmente essa fase permite que se confirme ou refute hipóteses iniciais e permite que seja feito um natural ajuste nas trilhas.


Conclusão

O Grupo de Ligação e a UPM apresentam os resultados do tema ao Conselho de Análise, que será a instância responsável por decidir as próximas etapas, a estratégia da difusão da informação a outros órgãos do governo e/ou imprensa, o aprofundamento da análise, a ampliação da amostra de campo e a mudança legal e/ou normativa, entre outras definições.

O Conselho de Análise também define se o tema passará ou não a ter monitoramento sistemático e periódico por meio da criação de indicadores próprios.


Difusão

Definida a estratégia de difusão de informações pelo Conselho de Análise, são elaborados os relatórios e comunicados internos e externos para as áreas afetadas pelo estudo. A divulgação para os meios de comunicação compete à Assessoria de Comunicação da CGU, que elabora a visão jornalística da análise dos dados, visando facilitar a compreensão do tema para a sociedade.