Menu acessĆ­vel interno:
 
   
 
Mapa do Site | Perguntas Frequentes | Sites Relacionados | Contato


Mapa do Site Perguntas Frequentes Sites Relacionados Fale Conosco Busca CGU 10 anosPerfil da CGU no TwitterPerfil da CGU no FacebookPerfil da CGU no Youtube PƔgina Inicial da CGU PƔgina Inicial da CGU PƔgina Inicial da CGU

21/10/2010

Operação conjunta da PF, CGU e MPF desmonta quadrilha que fraudava compra da merenda escolar em Alagoas

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira, em ação conjunta com o Ministério Público Federal (MPF) e a Controladoria Geral da União (CGU), a Operação Caetés, que vinha investigando, desde o ano passado, a atuação de um grupo empresarial dedicado a fraudar licitações para fornecimento de merenda escolar nos municípios alagoanos de Lagoa da Canoa, Craíbas, Traipu e Limoeiro de Anadia, dentre outros.

Por ordem da 8ª Vara Federal, em Arapiraca, foram cumpridos oito mandados de prisão temporária e 16 mandados de busca e apreensão nos municípios de Maceió, Arapiraca, Craíbas, Limoeiro de Anadia, Lagoa da Canoa e Traipu. A CGU e a Secretaria da Fazenda de Alagoas participaram também do cumprimento dos mandados de busca e apreensão.

Documentos foram apreendidos nas prefeituras municipais de Lagoa da Canoa, Limoeiro de Anadia, Traipu e Craíbas. Já os mandados de prisão tiveram como alvos seis empresários e dois funcionários de empresas do ramo de distribuição de alimentos que forneciam às prefeituras envolvidas.

A investigação iniciou-se a partir da suspeita de que sempre as mesmas empresas vinham se alternando freqüentemente como vitoriosas em certames licitatórios nos municípios citados. Entre 2007 e 2009, 13 licitações renderam ao grupo empresarial contratos no valor aproximado de R$ 8 milhões.

Os envolvidos responderão pelos crimes de fraude ao caráter competitivo de licitações, formação de quadrilha e peculato. As penas podem chegar a 19 anos de prisão. Até o momento, a fiscalização da CGU já detectou um prejuízo material estimado de R$ 157 mil aos cofres da União, sem levar em conta os recursos municipais também empregados na aquisição da merenda escolar.

Todo o material apreendido e os envolvidos presos foram encaminhados à Superintendência da PF em Alagoas, onde ocorrerão os interrogatórios e a análise dos documentos objetos das apreensões. Participaram da operação 78 policiais federais, nove servidores da CGU, além de seis servidores da Secretaria da Fazenda de Alagoas.

 

Assessoria de Comunicação Social